a carta que não tive coragem de te ler

18:40

Já escrevi esta carta tantas vezes ao longo destas três semanas.
As primeiras vezes estavam marcadas pela dor que sentia por ver o fim da nossa relação. Depois foi a raiva que tomou conta de mim, pela forma como terminaste tudo. E agora de tantas noites e manhãs que me deito e acordo a chorar, cheguei a uma fase de quase-apatia. Não total porque…bem, quem me dera que fosse total, era sinal que já não te amava. É um quase porque, não sei porquê, perdi a vontade de chorar copiosamente mas ainda carrego dentro de mim tanta dor…


E apesar desse sentimento, meu coração ainda salta quando te vejo online e confesso que ainda abro a tua janela, cada vez menos, mas abro. Sempre à espera de um bom dia ou de um «posso ligar-te?» como antes. Sinto tanto a tua falta que chega a meter raiva. Raiva porque o meu lado racional diz que tu não mereces essa saudade e esse amor mas porra, sentimentos não se controlam.

Eu sei, já não me amas e eu não te culpo por isso. Sentimentos vão e vêm, não com a mesma rapidez, mas com a mesma força. E é por isso, apenas por isso, que insisto neste encontro. Porque eu quero dizer-te que entendo. Eu entendo essa «coisa» dos sentimentos.

Mas não entendo uma coisa:
Como é que a pessoa que conheci é capaz de tamanha crueldade com alguém que apenas te amou. Depois de tanto pensar a única conclusão a que chego, por muito que o possas negar, é que nunca me amaste. Gostaste de mim. Mas não me amaste. Porque se me tivesses amado, não terias feito o que fizeste. Relê a nossa última conversa enquanto namorados. Eu sei que já andávamos mal há algum tempo, mas tu sempre me deste esperança que era só uma fase… até que nessa última conversa disseste basicamente isto: «estou numa pausa do trabalho, a ver se te ligo se sobreviver… ah estou à vontade? Eu sei mas não, pois já não somos nada, pois não?»


Que coração que amou é esse que não tem o mínimo de tacto para terminar com alguém? Erros, sim, quem erra é humano e tal, mas como foste capaz de tamanha frieza, maldade, crueldade para quem tu dizias que não merecia isto!? Só dizias isso porque querias convencer-te que sentias algum tipo de remorsos, mas não sentes e se sentiste, foi numa dose tão mas tão pequena que não se equipara aos remorsos de alguém que realmente amou!!

Por isso, peço-te de coração pesado porque eu sei que não me amas, e porque eu sei que já seguiste de alguma forma com a tua vida – e fazes bem, mesmo – peço-te: não digas que amas alguém em tão pouco tempo juntos. É tudo euforia do momento que te cega e faz-te pensar que a amas,… se calhar até amas mas espera um tempo até teres a certeza. Espera até a rotina se assentar. Espera até ela mostrar lados menos bonitos de se ver, até ela te mostrar as suas manias irritantes, os seus medos, o seu lado menos despreocupado com o que pensas…espera! Porque uma vez essas palavras são ditas, ficaram para sempre marcadas e no dia em que a deixares de a amar, ou de sentir seja lá o que for que sentiste por ela, ela vai carregar a mesma dor que eu carrego e foda-se, eu não desejo esta merda a ninguém. 

E quando essa altura chegar, espero que não repitas o mesmo erro que cometeste comigo. Tem a coragem que não tiveste, sê o homem que não foste, ensina à criança que mostraste ainda ser, que mal surjam dúvidas, deve-se terminar tudo. Termina porque o amor dá certezas, não dúvidas. Mas termina cara-a-cara, não o faças protegido por um teclado! Termina com cuidado pois nesse momento tens na mão o coração de alguém que te respondeu «também te amo» com toda a certeza do mundo, e se ele for arremessado como o meu foi… o processo do luto pelo fim de uma relação vai ser dez vezes, ou mais, doloroso. Respeita quem sempre te respeitou e sê o homem que sempre disseste ser… não digas vezes sem conta, sê-lo! Mostra!



Não prolongues a dor de não saber o que fazer para restaurar a relação que antes tinham, não digas «aw!» quando te dizem que te amam, não dês desculpas que estás ocupado, não dês esperanças quando já começaste o processo de desapego, não lhe prometas levar a mil sítios, não faças planos… mal a dúvida chegue, termina tudo. Pois se tiver que ser, será. Mas não prolongues um relacionamento que na tua cabeça e coração, já morreu. 
Só assim mostras respeito pela outra pessoa. Mostras que sentiste realmente algo. Mostras que és o homenzinho que tanto dizes ser. Pois só assim, com uma conversa franca, com ou sem choro, mas franca, é que se segue o caminho, com respeito pelo outro e sem medos de voltar a amar alguém.


-

If you’re with her and you wish you were elsewhere then leave. One of the cruellest things you can do to a person is make them feel like home when to you they’re only temporary. We all deserve adoration and undistracted attention. We all deserve to feel complete. If you can’t give her your whole heart, then don’t you dare hold it hostage. — Beau Christopher Taplin

illustration: American Red Cross water rescue manual, 1974. 


You Might Also Like

2 Comments

  1. Lamento imenso que estejas a passar por isso e que te sintas dessa forma, o que te posso dizer é que vai passar, tudo vai passar e tu vais olhar para trás sem que doa e magoa. Sê paciente, força e luta por ti. Sê corajosa. Tu mereces melhor*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelas palavras, sério. Não respondi na altura mas li na hora no telemóvel e caíram mesmo bem. Beijinho! <3

      Eliminar