Consegui! + Novo Template

21:31

Terminei o último post com um desejo. O desejo de conseguir levantar-me, de «sair do sofá sem sequer pensar nisto». E consegui.



Também não foi preciso um mês, pois há 5 semanas enfrentei o medo e meti-me no comboio para enfrentar uma quarta-feira (o dia mais longo da minha semana, com aulas de 18 à meia noite). 
Para quem não sabe, tenho de apanhar comboio e autocarro até à faculdade. Tenho sempre de sair com umas duas horas de antecedência por isso, para quem ainda estava a adaptar-se à medicação e que às 18 já andava a morrer de sono, este foi um dia cheio de vitórias! Mas até sentir essa sensação de triunfo, ainda passei por umas fases menos boas: pois a verdade é que mal me sentei no comboio, logo na primeira paragem, saí a correr. 
Senti-me fracassada. Já estava a mentalizar que ia voltar para trás quando me lembrei de ligar a uma amiga que sofre do mesmo mal (já vos conto sobre ela*). Lá expliquei a situação e ela incentivou-me a ficar à espera pelo próximo comboio. Quando dei por isso já tinha entrado no comboio e já estava a chegar a Lisboa e não havia volta a dar.

Sabem aquela sensação irritante em que estás a pedrada de sono mas super irrequieta? Foi assim que passei o dia. Foi mesmo muito difícil mas como já andava neste estado há pelo menos duas semanas devido à medicação, respirei fundo e mentalizei que tinha de sobreviver a este dia.

Depois de muita mentalização, ainda nem estava na faculdade, estava bem longe dela, perto do Marquês de Pombal, e já não conseguia conter o sorriso. Estar ali era impensável há uma semana. Pensei que mesmo se não conseguisse assistir às aulas, já tinha o dia ganho. Desta vez sem pressão, cheguei à faculdade. Assisti às aulas todas (apesar de ter saído umas duas vezes para respirar fundo, e por não ter jantado na cantina porque metia-me impressão tanta gente num espaço pequeno), fiz todo o trajecto de volta a casa. Fechei a porta, cumprimentei a minha família e senti-me o ser mais relaxado e realizado de sempre!! 


Depois deste episódio, apesar de continuar a sentir que retrocedi 10 anos, tento enfrentar cada desafio com calma. Há claro nervosismo, penso sempre que não vou conseguir (apesar de não o verbalizar), arquitecto todos os meus planos de fuga e desculpas para fugir da situação, mas vou sobrevivendo... 
Já consigo sair de casa;
Já passei um dia inteiro ao sol e cheia de calor (dois aspectos que sempre sempre odiei porque fazem-me sentir ainda mais frágil);
Já passeei pela Baixa, completamente sozinha;
Já fui a festas de aniversário;
Já consigo ficar à mesa e conversar com as pessoas;
Já consigo sair para jantar com o namorado;
Já consigo andar de transportes;
Já consigo ficar no trânsito sem fugir da rota de destino;
...

E são feitos tão pequenos para alguns, mas tão grandes para mim que, enfim... suspiro de alívio.






* - Pois num dia em que estava a desesperar com a medicação, em que nem conseguia entrar na casa de banho e tomar um duche (sim, tive uma fase em que não conseguia tomar banho, apesar de o fazer todos os dias...não saltei nenhum dia não!), reparei que ela estava online e num tom de brincadeira - apesar de só ter vontade de chorar, disse-lhe algo como isto: «adivinha quem é que recaiu, dez anos depois?». Ela ligou-me de imediato e depois de me ouvir a chorar, lá me tranquilizou. Benditos amigos que se revelam em momentos de desespero! 
E sim, fiquei surpresa perante a calma, amizade e companheirismo que tem mostrado até então...
Surpresa porque apesar de amigas, nunca fomos super próximas, e mandei-lhe mensagem apenas porque sabia que ela estava a passar pelo mesmo que eu, pois ela recentemente teve de lidar com a morte de alguém muito próximo e por causa deste episódio infeliz, desencadeou os ataques de pânico nela.

PS: E o novo template? Ainda estou a dar um jeitinho mas tá a ficar lindo pá! Alguma critica ou sugestão, deixem comentário! ;)

You Might Also Like

2 Comments

  1. O template está muito giro! Já era tua seguidora aqui no blog :)

    ResponderEliminar
  2. Fico tão feliz por ti, continua assim e nunca desistas de ti. Força*

    ResponderEliminar