Ontem à noite voltei a ter 16 anos

12:25

Uns lembram-se dessa época com tanta saudade e eu quero distância dela.
Uns recordam cada momento e eu só quero esquecer.

The Panic Attack by G-Mads
O sentimento de impotência, vergonha, o terror de não saber porquê estás  a sentir tudo aquilo. «De onde vem esta tontura, estes tremores, este ritmo cardíaco acelerado? Alguma doença? Ou uma simples queda de tensão? Não, se fosse queda não demorava 3 horas a passar, ou demora? O que faço para melhorar? É açúcar ou sal? Mas estou tão enjoada, nem consigo abrir a boca para explicar o que se passa comigo. Escrevo. Sim, lembro-me de escrever. Escrevi tanto, num pedaço de papel ou no telemóvel, como fiz há muitos anos atrás quando tudo isto começou e eu sentia-me tão ou mais fraca como agora».

Ontem, no final do jantar senti tudo isto, de uma só vez, vindo do nada, e que despertou dentro de mim uma Cisma que andava há anos adormecida. A Cisma que acordava todos os dias nervosa e que tinha de vomitar para se sentir melhor. A Cisma que que corre para o quarto mais iluminado, tal mosquito numa noite de verão, deita-se na cama, chora e deseja que a morte venha de uma só vez para que tudo seja menos doloroso. A Cisma que não consegue falar e explicar o que sente porque está demasiada paralisada com medo, tonturas e com vómitos. A Cisma....essa Cisma veio visitar-me ontem à noite e eu não a quis deixar entrar. Oh mas ela é tão forte, tão mais forte a incerteza que a vontade de pensar em frases cliché, mais forte que exercícios de respiração. 
E nestes casos o ritual tem de ser seguido à risca, como noutros tempos, um ritual tão sujo e tão auto-destrutivo. «Não fales com ninguém, se falares tudo o que pensas vai acontecer. Precisas de sal? Precisas de açúcar? Não comas mais, vais vomitar. Vai vomitar! Melhor? Não? Deita-te, chora, tranca-te no quarto! Está tudo a rodar? Cada passo que dás perdes o equilíbrio, não é? Estás a respirar muito rápido! Faz exercícios de respiração! Põe o dedo no pescoço! Tá acelerado o ritmo? Controla-te! Estão a bater à porta...diz que está tudo bem! Não não, abre! Abre e diz algo. Abre a boca Cisma! ABRE! Explica! Não vai acontecer nada de pior do que tudo isto! - Tonta - Responde à tua mãe!! Ela quer ajudar! Ela não consegue...quer dar abraços. Não não quero, sai! Saí do quarto! Abraços não ajuda, só me sufocam ainda mais. SAÍ! Isto vai passar...1 hora...duas horas...três horas! Já passou? Sim, não estás tonta mas estás com medo de ficar outra vez. Não te mexas, vai ver televisão. Consegues virar a cabeça? Experimenta..oh não, ficaste tonta! Vai começar tudo outra vez!! Não não, não pode ser. Vai dormir! Pára de tremer! Desliga a luz! Assim não vês nada desfocado e a rodar! Sentes? Não há mais nada a fazer... Fecha os olhos! A cama está a rodar... concentra-te em algum som lá fora. Ouves os carros? Não... Ouves o vento? Não...Ouves a tua prima a respirar ao teu lado. Boa...então faz a mesma respiração que ela! Oh ela respira tão rápido. Pensa noutra coisa...que horas são? Quatro da manhã. Isso não é nada, já te deitaste mais tarde...e já passaste muitas noites em branco por causa disto. Será que tenho alguma doença? Não, fizeste os exames há pouco tempo. Mas a médica pediu-te mais...será que a médica está a pensar que tenho alguma coisa e não me diz? Oh, estás esgotada, cansada desta últimas horas...vais acabar por dormir. Vira-te para o lado Cisma. Não não, para o outro. Tá calor. Mete a perna de fora. Tá frio. Volta a cobrir-te. Volta a ...».

Acordo. O medo volta. O medo continua aqui. Já não estou tonta...continuo enjoada, mas melhor.
Oh adolescência, vai e nunca mais voltes por favor.
Sabiam que a Mania da Cisma já está no Facebook?
Faz like e acompanha todas as novidades por lá:

You Might Also Like

16 Comments

  1. Andas a passar por uma fase complicada, mesmo! Já sabes, estou aqui se precisares Cisma*

    ResponderEliminar
  2. Não consigo nem imaginar o teu desespero, deve ser preciso muita muita força para resistir a algo tão complexo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em momentos racionais reconheço essa minha força. Mas na hora...

      Eliminar
  3. Imagino seu desespero, senti algo parecido quando dia desses não consegui colocar o pé pra fora da cama, eu simplesmente perdi minhas forças e só queria morrer, não comi, não bebi e tive de ter ajuda para tomar um simples banho... Eu sei como é essa sensação da adolescência voltando, e é horrível, eu odeio me lembrar do passado, porque foi tudo tão complicado... Espero que você melhore, Cisma! Força!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo complicado e super frustrante porque passamos a vida a dar um passo de cada vez, sempre em frente, e de repente, quando pensamos que estamos mil vezes melhor do que quando tudo começou...parece que retrocedemos tudo e mais um bocado.
      Força também para ti querida Michele!

      Eliminar
  4. Não imagino o que seja passar por isso,
    desejo-te que melhores.
    Beijinhos*
    Treze Mundos
    My Photography

    ResponderEliminar
  5. Gostei muito do blog, já estou a seguir. Bom domingo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Marta :) Já dou uma vista de olhos no teu

      Eliminar
  6. gostei muito do teu blog. Parabens:) ja estou a seguir:)

    http://fromportugaltonyc.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  7. Não imagino o que seja sentir isso, mas acredito que não é fácil e tu és uma corajosa. Força!!

    ResponderEliminar