Sozinha.

10:04

Há um certo encantamento em viver sozinha.
É certo que é um tanto triste, mas quem disse que a tristeza não é bela?

Neste apartamento levo vivo presa numa rotina: levanto-me, abro as persianas, respiro fundo, olho lá para fora, e de fundo, oiço o barulho do velho frigorífico na cozinha, e dos carros que passam lá fora. Saio do quarto e passeio pela casa que outrora foi residência de uma rapariga de 5 anos e da sua família. Ali, naquele corredor, gatinhei escondida para ver, pelos vidros da porta da sala, se a minha mãe estava a ver televisão, ou não. Naquele corredor já admirei tantas vezes o majestoso espelho gigante que parece ter saído de um palácio francês, e que agora ainda o contemplo e questiono-me se não foi devido a esta decoração que me fez apaixonar, de tal forma, por História. E era naquele mesmo corredor que via o meu pai chegar do trabalho, onde ouvia a melodia que fazia ao assobiar e onde, eu e o meu irmão, íamos a correr pelo meio de gargalhadas até ele.
Chego à cozinha e repito a mesma rotina: abro as persianas, respiro fundo e olho lá para fora. Só que desta vez procuro na varanda velha e fechada, vestígio de algum bicho que possa ter entrado durante a noite. Aquela varanda sempre me meteu medo - com um cheiro característico e com janelas que não fecham bem, no Verão, sempre deixou entrar abelhas, mosquitos gigantes, vespas,... e por causa disso, até hoje mantenho o receio de abrir aquelas portas. 
Nesta cozinha está uma mesa, onde tantas vezes comi em silêncio, onde tantas vezes me escondi debaixo dela e onde tantas outras vezes sentei-me a comer fruta enquanto via a minha mãe a cozinhar. 
Agora as pernas da mesa estão enferrujadas e já ninguém se esconde por debaixo dela. E a minha mãe já não cozinha ali. Trocou esta por uma cozinha mais moderna e melhor equipada. Mas eu aqui estou, ainda no silêncio, nesta manhã.
Vou até à sala. Os móveis são pesados. Aqui não há lugar para aqueles de tipo tábuas fracas, que agora todos têm. São ornamentados, de madeira maciça, escuros e envernizados. Não vieram de nenhum Ikea e não são de fácil montagem. Este espaço já recebeu tanta gente, tantos jantares e tantas gargalhadas. Tem também um bar, ao canto da sala, que estava sempre cheio de garrafas de álcool «do bom» e duas prateleiras cheias de brinquedos do Ovo Kinder. Aqui, começavam as filas que o meu irmão fazia com carrinhos de miniatura - «um trânsito», dizia ele - que atravessava a sala, corredor e cozinha. Nada de corridas. Ele gostava de mover um carro atrás do outro, sempre em passo de caracol, ajustando-os como se tivessem uma distância de segurança entre eles. 
Agora as prateleiras do bar estão vazias, os móveis a perder o brilho e nem uma gargalhada se ouve - apenas o som de um computador e das crianças lá fora.
E a varanda,... já vos falei da varanda? Uma vez acordamos com um hóspede na varanda. Um pássaro fez ninho por lá. Lembro-me perfeitamente desse dia. Também ia para lá muitas vezes contar os carros que passavam na rua, dizia alto as cores e via-os passar. Outros tempos. Actualmente não alberga pássaros, nem plantas. Está suja e eu encontro-me sem coragem de ir lá limpar e fazer-me recordar desses momentos com mais detalhe.
Regresso ao meu quarto. Partilhei-o muitos anos com a minha tia - adolescente na altura. Ainda cá tenho os seus cadernos da escola - adornados com fotografias do Jon Bon Jovi, Axl dos Guns n' Roses e outros teen idols da altura. Sempre a admirei. Foi como uma irmã mais velha. Foi esta, a «tia brasileira», que me deu a minha primeira cassete áudio e o primeiro CD. E foi naquele quarto que muitas vezes ouvi essas músicas. O quarto que estava todo enfeitado de cor de rosa, paredes brancas, mas cortinas cor de rosa, manta cor de rosa, bonecos com cor predominante rosa. E agora é apenas um fantasma da minha infância que tive, parada no tempo, com paredes agora amareladas mas onde, mesmo assim, é o único espaço da casa onde consigo entrar e não sofrer tanto da solidão óbvia que este apartamento me traz. Talvez por causa dos momentos que aqui passava, ainda em pequena, sozinha, mergulhada em mundos de fantasia. 
De volta à sala, ligo a televisão para que o som abafe estes pensamentos. Sento-me ao sofá e olho para o gigante pêndulo do relógio, e penso:
«Este é o meu canto no mundo. Tão triste mas tão cheio de memórias felizes. Este é o canto onde recentemente chorei, e onde - com a ajuda de um livro, computador ou televisão - ri-me também. Onde já ultrapassei alguns medos, ganhei outros e estou a trabalhar para vencer outros mais. Aqui fui obrigada a crescer. Dizem: "ninguém é feliz acompanhado, se não aprender a viver sozinho". Pois devo estar num bom caminho, porque as noites de choro acabaram, e apesar da vida apática que levo neste apartamento, sei - bem lá no fundo - que não estou tão presa a estas memórias como estava no primeiro dia em que cá regressei».
Que o passado me dê forças para um novo futuro.

How To Be Alone - Poema de Tanya Davis



Sabiam que a Mania da Cisma já está no Facebook?
Faz like e acompanha todas as novidades por lá:

You Might Also Like

70 Comments

  1. Um texto forte....
    Já agora, vives sozinha por opção ou por contingências da vida?
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por opção (ensino) e por contingências da vida (ensino longe da casa da residência). assim é, assim tem de ser...entendeste? ;)
      Beijinho

      Eliminar
  2. Que texto tão bonito! :)
    Eu quero muito viver sozinha... apesar de já nao estar em casa dos meus pais e dividir casa, gostava de ter uma casa só para mim. No entanto sei que viver completamente sozinha às vezes pode ser um bocado triste e solitário...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tem os seus dias de solidão, mas também já passei um bom bocado aqui sozinha ;)
      Obrigada! Beijinho

      Eliminar
  3. Que texto bonito, muito cheio de sentimento mesmo, eu me emocionei.
    Eu passei a minha adolescência toda numa casa vazia, só tinha eu e minha mãe e ela trabalhava o dia todo, então aprendi cedo que ficar sozinha não era tão ruim assim. Tinha dias que eu chorava muito, mas ria sozinha também com as minhas loucuras. Minha cabeça sempre foi muito criativa e não me deixava ficar pensando que eu estava sozinha. Não sinto saudades dessa época, mas sinto falta da pessoa que eu era, mais livre.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. oh como te entendo! também já sofri aqui sozinha, mas também já me ri. temos de ver o lado positivo de tudo, né? :)
      e obrigada pelas palavras! :D
      Beijinho

      Eliminar
  4. Que texto poderoso! Sabes, às vezes sabe bem recordar o que vivemos. E quando aprendemos a recordar sem ficarmos apáticos então é sinal que estamos prontos para seguir em frente :) Vais ver que aprenderás a viver feliz sozinha rapidamente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. estou aprendendo, aos poucos :) tem os seus dias de tristeza e outros de alegria. Há que agora encontrar o equilíbrio! beijinho

      Eliminar
  5. que seja o inicio de algo maravilhoso... por momentos viajei contigo por essa casa e essa infância, fazes-me lebrar o Lobo Antunes. beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. eish, obrigada! confesso que ainda não li nenhum livro dele por falta de tempo e por ter tantos livros já comprados e por ler. mas é um dos autores que mais tenho curiosidade ;) aconselhas algum livro?
      obrigada pela comparação ;)
      Beijinho

      Eliminar
    2. eu gosto muito, muito do "Não entres tão depressa nessa noite escura". Mas gosto de todos os dele;)

      Eliminar
    3. Vou ver se encontro esse então ;) para começar...
      mais uma vez obrigada querida :D

      Eliminar
  6. Bem... tantas memórias...
    Este teu texto passeia-nos pela tua casa e está tão repleto de solidão... mas depois terminas com um raio de sol cheio de esperança! E isso renova-nos :)
    Espero que tudo corra pelo melhor. Que haja alegria nessa casa, que haja gargalhadas, que sejas feliz!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. obrigada pelas tuas palavras :) a sério!
      há que ver sempre o lado positivo de tudo, não é mesmo?
      Beijinho

      Eliminar
  7. Que texto hein, gostei, e por falar nisso, gosto de momentos sozinha, mas não consigo viver só, é bem difícil aprender a lidar com isso! Beijinhosss e até

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. é difícil sim, mas necessário. eu acho. eu vim para esta casa por escolha minha, para aprender a enfrentar medos fora da minha área de conforto. é super difícil, mas com o tempo, tudo se consegue :) beijo

      Eliminar
  8. por que não convidas alguém para viver contigo? :)
    adorei o vídeo, estou a começar a fazer coisas sozinha! ainda no outro dia fui almoçar sozinha ao restaurante a um domingo, o dia em que, supostamente, é o dia em que vão as famílias :p

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. p.s. já uma vez num exame tinha deixado a última página por fazer (vá lá que só era um exercício) porque só pensava que a seguir ia à praia e eu amo praia! tive positiva, mas saber que podia ter tido melhor, deu cabo de mim, enfim :p ai fica a lição fica ahah
      está tudo bem, sim! com o caroço ainda não sei, que ainda não falei com este ano, mas deve tar ahah espero que também esteja contigo! beijinhos

      Eliminar
    2. não convido porque não posso ;p casa de familia e tal...
      o video e o poema é lindo mesmo!
      isso requer muita coragem e confiança! gostava de um dia fazer o mesmo :D o máximo que conseguia era almoçar na cantina sozinha, mas num restaurante, nunca experimentei.
      essa da exame também já me aconteceu hahahaha
      mas já fizeste exames que o médico pediu, ou ainda nem foste ao médico?
      beijinho querida

      Eliminar
    3. ah assim é chato :c
      pois é, adorei mesmo!
      olha eu acho que é mais fácil no restaurante do que na cantina, nem sei porquê, mas também nunca experimentei comer sozinha na cantina!
      sim já, estas análises todas e ecografias que eu faço durante o ano são sempre para mostrar à médica..

      Eliminar
    4. ai na cantina, na faculdade, como muitas vezes tinha aulas em horários diferentes de amigos, tinha de ir muitas vezes comer sozinha hahah habitua-se bem ;) e acaba até por ser tudo muito mais calmo heheh
      oh ainda bem :D vai correr tudo bem então!

      Eliminar
    5. normalmente, arranjo sempre companhia, por isso é que nunca precisei de ir sozinha à cantina. mas se não tivesse mesmo ninguém com quem ir, ficava-me pelo bar da faculdade, assim ficava sozinha na mesma, mas nem tinha de sair de onde estava e encontraria sempre alguém :)
      sim, claro que vai, por isso é que até faço brincadeiras com isto a dizer que ainda não falei com ele este ano ahah
      mesmo, não dá jeito nenhum assim! e eu até meto para me notificar, só que as notificações não me avisam sempre que chega um e-mail, tenho de ir lá mesmo..

      Eliminar
    6. ou seja, a única forma de notificação ou envia-te mil emails ou não envia nenhum hahahah boa blogger! xD
      ah muitas vezes também comi sozinha no bar da faculdade hehehe mas não sei porquê achava aí mais solitário que na cantina xD talvez porque as mesas eram mais pequenas e as chances de dividircom alguém a mesa era bem menos heheh

      Eliminar
    7. não, ele avisa sempre, se eu pedir, obviamente. só que há computadores, que sempre que tu recebes um e-mail, aparece uma notificação no ambiente de trabalho, como se tivessem a falar contigo no chat do facebook.. pelo menos é essa a ideia que eu tenho! e no meu computador, isso não acontece, ou seja, eu tenho que me lembrar de ir ver se tenho e-mails. se for de um dia para o outro, eu vejo, que quando ligo o computador, vou sempre ver se tenho alguma coisa. mas se for enquanto tiver aqui, só vou ver se estiver mesmo à espera de algum e-mail..
      oh, mas por isso é que eu penso que a cantna é mais 'solitária'. como as mesas são maiores, é suposto levares mais gente a almoçar contigo. agora no bar da faculdade, as mesas são pequenas, às vezes tu própria consegues ocupar uma mesa: ora, a mala numa cadeira, os cadernos noutra e um saco ou outra coisa qualquer na última cadeira. em cima da mesa, o teu tabuleiro e um livro qualquer. e pronto, só estás sozinha porque tens tanta coisa que os teus amigos tiveram que se sentar noutra mesa ahah conclusão: no bar, ainda podes enganar, na cantina não dá, que são muitas cadeiras para preencher :p

      Eliminar
  9. caramba, gostei mesmo de ler, acho que às vezes sobrevalorizo o viver sozinha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não tem mal nenhum em sobrevalorizar algo como isso ;) se consegues viver feliz e em paz sozinha, ainda bem :D
      Beijinho

      Eliminar
  10. Não vives sozinha, tens tantas memórias contigo...daquelas boas que nos enchem tanto :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. enchem quando acordas feliz, mas quando não acordas bem, são memórias pesadas :/
      obrigada pelo lado positivo ;p beijinho

      Eliminar
  11. Adorei o teu texto, escreves de uma forma tão genuína e verdadeira, adorei mesmo.
    Sempre ouvi dizer que nascemos e morremos sozinhos, mesmo que com milhares de pessoas à nossa volta, acho que é o nosso destino.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada querida :)
      pois, também já ouvi o mesmo. no sentido literal, sim, é verdade, ...mas no figurativo, não queria acreditar nisso não :/ apesar ser pessimista...não quero acreditar nisso :(

      beijinho

      Eliminar
    2. Vão existir sempre momentos em que vamos estar rodeados da família e dos amigos, as pessoas que nos querem bem, e esses são os que devemos guardar sempre dentro de nós, os outros, é deixar seguir... :)

      Eliminar
    3. é isso mesmo ;) é assim que prefiro pensar

      Eliminar
  12. Uma casa cheia de recordações :) Aproveita*

    ResponderEliminar
  13. O texto começou com um frase tão linda e verdadeira,,, E da mesma forma terminou. Muito lindo!

    ResponderEliminar
  14. Que lindo texto :)
    Beijinhoooo*
    www.flordemaracuja.pt

    ResponderEliminar
  15. Consigo sentir o carinho com que escreveste este texto :')

    ResponderEliminar
  16. antes sozinha que mal acompanhada, eu acho :)

    ResponderEliminar
  17. Quem me dera morar sozinha outra vez, tenho saudades dessa... nem chamaria solidão, é mesmo independência, individualidade, paz, privacidade, liberdade! Triste é, com esta idade, eu ainda ter de morar na casa dos meus pais devido a dificuldades financeiras. Envergonho-me bastante e detesto ter de conviver com outras pessoas mesmo quando não me apetece.
    Claro que se me aparecer uma barata à frente, se morar sozinha vou ter de chamar algum vizinho lol... Viajar sozinha, fazer compras sozinha, ir ao cinema sozinha, ir ao restaurante sozinha... Isso são coisas a que já estou tão habituada a fazer sem a companhia de outrém que até me são agradáveis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Como tudo, há o seu lado positivo e negativo ;)
      isso com bichos só se forem grandes, senão mato-os eu hahahah
      e entendo o que disseste de viver com os pais, pq também eu vivo com eles, apesar de terça a sábado estar em Viseu. mesmo assim, sei o stress que é mal saio da cidade e volto para casa dos pais. e só tou em viseu porque estou a estudar e tenho lá casa, senão, estava com os meus pais todos os dias hehehe
      não tens de te envergonhar ;) não és a primeira nem última nessa situação. infelizmente o pais está assim...cheio de jovens a viver com os pais :/

      força!
      beijinho

      Eliminar
  18. que venham daí muitos dias e memórias coloridas ... :*

    ResponderEliminar
  19. Obrigada pelo comentário! O sorteio é internacional tbm ;) bom domingo:* beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sendo assim já vou ver ele direitinho :)
      beijinho

      Eliminar
  20. Adorava viver algum tempo sozinha... Só para sentir essa paz. Nunca duraria muito tempo, mas gostava de experimentar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. como já aqui disse nos comentários: viver sozinha tem o seu lado positivo e negativo. é uma experiência única e que já me fez crescer muito!
      beijinho :)

      Eliminar
    2. Imagino que sim, tudo tem o seu reverso. De qualquer forma, imagino que tenhas aprendido imenso e por isso gostava de passar por essa experiência.

      Eliminar
  21. Não há nada que nos alimente mais a alma que andar pela casa que nos viu crescer e nos lembrarmos de cada canto com uma história. Viver sozinha não é fácil...e nunca o aprendemos a fazer devidamente...mas o choro acaba por passar e encontramos outras gargalhadas que preencham o vazio =)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. olha, entre três linhas falaste tudo :D hahaha muito obrigada, a sério! beijinho

      Eliminar
  22. este texto está muito bem escrito :)
    eu confesso que adorava viver sozinha. já vivi durante 3 anos e sentia-me muito bem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. sozinha já vivi praticamente um ano durante a faculdade, em que a minha colega de apartamento quase que não passava por casa hahah mas esta nova aventura já dura uns 5/6 meses e ainda me estou a habituar ;)
      obrigada pelo elogio :D Beijinho

      Eliminar
  23. Amei o texto, profundo e vc escreve bem!

    http://historiaimperfeita.blogspot.com.br/

    ResponderEliminar
  24. Que bonitas recordações! É certo que viver sozinha pode trazer nostalgia, mas imagino que dê uma privacidade e uma liberdade que compense esse sentimento saudoso.
    Imagino-me a viver sozinha daqui a uns anos, mas não na minha casa atual... Não sei bem se é a coisa certa para mim, porque assusto-me com qualquer coisinha (eheh) mas a verdade é que ideia de poder ter uma casa só para mim é algo que sempre me atraiu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. tem dias que amo viver sozinha, outros em que quero casa cheia. que dá privacidade, dá, muita. mas enfim, ficou o desabafo do lado menos bom de viver sozinha ;)
      desculpa a demora a responder!
      Beijinho

      Eliminar
  25. Nunca vivi sozinha, tenho curiosidade e receio ao mesmo tempo! Provavelmente em breve quando for para a universidade x)
    Gostei do texto :D

    http://free-colors.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai correr tudo bem, tenho a certeza ;)
      Beijinho

      Eliminar
  26. Eu quero muuuito viver sozinha, principalmente porque tenho aquele tipo de personalidade que se incomoda só pela presença de pessoas "estranhas" num local tão privado como é a nossa casa. Não sei como vou lidar com a situação quando tiver que partilhar casa, seja com amigos ou pessoas quase desconhecidas...
    Portanto, claro que terá os seus aspectos positivos e negativos, mas acho que viver sozinha seria uma óptima experiência para mim :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro, tem os seus dias bons e os menos bons, mas no geral é uma fase necessária para mim...já cresci muito nestes últimos meses! :D
      beijinho querida!

      Eliminar
  27. Passando para desejar uma ótima semana! Quando tiver post novo me avise, tá? Beijos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh uma óptima sexta e desculpa o atraso ;)
      beijinho

      Eliminar
  28. tudo tem seu tempo. tudo pede a solidão e a companhia.
    morei durante anos sozinha. hoje, casada há mais de 10 anos, gosto de estar acompanhada, claro, mas dou o maior valor aos momentos em que estou sozinha comigo. estar só, pra mim, não é solidão, é necessidade.

    amei seu blog.
    um bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. hahah imagino :)
      eu sei que com o tempo vou dar mais valor a estes dias que vivo agora.
      Beijinho querida

      Eliminar