Ora vamos lá esclarecer uma coisa. Pode ser? (Sim, mais um texto sobre as praxes académicas)

17:40


Vamos lá a ver uma coisa: 
NINGUÉM é obrigado a participar nas praxes.
NINGUÉM!
Tu não deves nada a ninguém e só participas quando queres e se quiseres! 
Tens boca, não tens? Se não queres participar num ou outro jogo, diz «não». Simples. Se depois quiseres voltar às praxes, volta, não há problema!
E se os outros levam a mal, problema deles. Só gente de mente muito pequena fica ofendida com o facto de tu não aceitares praxe x ou y.


Há sim gente que depois de muitos «não» continua a fazer uma espécie de bullying para te fazer sentir mal, mas fodas, pega as tuas cenas e vai a alguém com autoridade. Simples! Anda com pessoas que te compreendam, explica-te direito, e nunca percas a calma porque esses bichos de merda que ganham a mania mal metem a capa, não passam disso mesmo: bichos. E quanto o bicho ladra, tu calmamente chegas ao pé dele e mostras o teu ponto de vista, e se não te compreenderem, viras as costas e vais-te embora.


É triste ter de escrever isto porque acho uma coisa tão básica e tão desnecessária de se dizer... mas enfim.
Contudo não quero com isto desvalorizar as mortes que já ocorreram devido às praxes académicas. Esses sim, são vitimas e infelizmente não tiveram apoio de alguém que lhes orientasse para um caminho mais seguro. 

Apenas acho completamente desnecessário todos estes discursos de pró ou anti-praxe. Porque a questão não é essa!! A questão aqui é o facto de existir gente que mal meta a capa, fica completamente diferente e pensa que é o Rei do mundo! Por isso parem de generalizar!! A culpa não é das praxes, é sim das pessoas que as fazem. Eduquem mas é os vossos filhos a dizer «não», a saber destingir o bem do mal, a fazer decisões acertadas e a afastarem-se de bichos sem bom senso e dois dedos de testa. Se os educarem direito, esses bichos caem em «vias de extinção» e todos passarão a ter praxes humanas e divertidas, que cumprem devidamente com o objectivo da praxe: integração na vida académica.


Tenho dito. FUI!



You Might Also Like

25 Comments

  1. andas na esec? já ouvir falar muito bem dessa faculdade, e tem um curso que em interessa. Quanto às praxes acho que tens razão, fui praxada este ano e porque quis, e não fiz nada que não quisesse fazer, mas acabei por não gostar do curso em si e desisti

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. shiu, ninguém precisa saber ;p mas sim, andei. muito sinceramente, e atenção que não sou daquelas pessoas que parece que levou lavagem cerebral, foi das melhores praxes que passei. tenho conhecimento de muitas outras, mas lá esclarecem-te no primeiro dia que não és obrigado a nada e que só fazes o que quiseres. Claro que há sempre um ou outro gato pingado que pensa que é o rei daquilo tudo, mas isso há em todo o lado. O que tens a fazer é respeitar a ti e aos outros - e tudo o resto corre bem!
      Quanto ao curso, fizeste bem. Sou apologista que mais vale mudar de curso mil vezes do que gastar dinheiro e anos em algo que não gostas ;) Por isso força. Qualquer coisa, manda mensagem privada no formulário (deixa contacto) ou deixa aqui mesmo comentário que respondo sempre ;) Beijinho e força!

      Eliminar
  2. As praxes foram a melhor altura da minha vida.Mas claro que há aquelas pessoas que só sabem abusar e fazer asneiras... e depois os outros é que pagam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Igualmente. mas enfim, há sempre esses «reis da aldeia» que sabem estragar qualquer actividade que devia ser divertida tanto para quem dá como para quem recebe a praxe, ...

      Eliminar
  3. Estou completamente de acordo com o que escreveste! O problema é mesmo as pessoas não saberem dizer não, não tem nada a ver com as praxes que se fazem no local x ou y. Quem não gosta não é obrigado a lá estar. Tenho pena de estarem a aproveitar esta tragédia para fazerem uma generalização abusiva sobre a praxe, como se fosse tudo mau, mas pronto, será sempre mais um dos temas que não gera consenso.
    Ah, e já agora não pertenço a nada ligado à praxe, apenas experimentei no meu ano de caloira, e até considero ter uma posição neutra quanto ao assunto. beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. infelizmente vai ser sempre assim. esta gente gosta da tragédia e do escândalo por isso «toca a inventar tudo e mais alguma coisa e toca a puxar assuntos que infelizmente aconteceram mas ...vamos exagerar, para chamar ainda mais a atenção». e eu também não pertenço a nada ligada à praxe. enfim, beijinho

      Eliminar
  4. Epá este assunto já me mete tanto mas tanto nojo, sinceramente! Eu ainda não ando na faculdade mas acho que já deu para perceber que há praxes mais correctas ou incorrectas, e sinceramente isto que andam a fazer é quase como culparem a Agros inteira porque alguém intolerante à lactose teve uma reacção alérgica.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois mete. por isso que não me alonguei muito. apenas dei opinião de que aquilo aconteceu mas a culpa não é das praxes, apenas das pessoas que o fizeram e das que aceitaram sem questionar a falta de humanidade e respeito que aquilo tinha :/ mas amei a tua comparação ahahahaahah

      Eliminar
  5. Mainada!
    Quem não quer fazer pela vida, que faça pela morte. Mas depois não se queixem, não estraguem o jantar ao pessoal que vê o telejornal de costas.
    Ahh e antes de abrirem os cordões à bolsa, perguntem aos filhos que raio de história é essa de alugar casa de praia em dezembro.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. acho que não esclareci direito o meu ponto de vista: não falei em nenhuma situação em particular. apenas peguei neste alarido todo à volta das praxes para esclarecer um ponto de vista que já tinha ainda antes de entrar para a faculdade.
      mas falando no caso em que aqui nomeaste: uma situação triste, onde o único culpado é o mar.

      Eliminar
    2. O mar, esse malandro que vem buscar as pessoas ao meio do areal.
      Pelo menos teve consciência de não levar o único que tinha telemóvel para poder pedir ajuda.

      Eliminar
    3. aí já estamos a entrar num assunto que não quero comentar até porque não estava lá e ainda não se sabe o que REALMENTE aconteceu. ;)

      Eliminar
  6. Concordo contigo. Mas acrescento ainda o facto de algumas vezes se confundir determinadas práticas de humilhação com praxes... A culpa não é das praxes, a culpa é de alguns infelizes que gostam de distorcer as coisas e se servem do termo "praxes" para pôr em prática determinados fetiches que têm, porque sabem que só ali se podem sentir, mesmo que por momentos, superiores a alguém. Mas, tal como dizes, essas situações podem ser facilmente resolvidas... Basta que do outro lado alguém diga "não", basta a quem está a ser praxado não alinhar em parvoíces.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ora nem mais, acabaste de resumir o que disse ou queria dizer ;p
      acrescento ainda que basta o «não? e APOIO para essa pessoa consiga dizer «não» sem sentir pressão e sozinho ;)

      Eliminar
  7. Já me cansa ouvir falar das praxes... mas também não estou nesse meio e por isso não conheço muito bem como funcionam. Mas tens razão! ;)

    http://free-colors.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. se por acaso um dia vieres a fazer parte deste meio, vais entender melhor ;)

      Eliminar
  8. É ridiculo o quanto se fala em praxes sempre que uma desgraça acontece. Mas tu dizes e bem...só faz quem quer! É repetitivo e algo primitivo que agora se espantem que acontecem azares...não há bela sem senão...e a estupidez paga-se caro. É pena haver tanta gente em cursos superiores sem bom senso

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. não sei onde li e quem o disse, mas foi: esta perseguição à praxe é quase como a perseguição que assistimos no caso de padres que violam crianças. Por um ser desequilibrado, pagam todos e é a igreja perseguida e julgada tudo no mesmo saco. há que SIM estar atento a estes casos, mostrar apoio para denunciar e fazer planos para que não se volte a repetir esses erros com mais ninguém!

      Eliminar
  9. Tens razão sim senhora, mas com o que aconteceu no Meco, têm de dizer mal, a sociedade é mesmo assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ainda nem se sabe o que realmente aconteceu e fazem tanto escandalo pá. tenho pena dos pais desses jovens que agora têm de viver neste circo chamado Portugal.

      Eliminar
  10. epá eu nem ingressei no ensino superior mas não gostaria de ser praxada. estou no meu direito, não estou? aliás, estaria ahah
    epá, honrem o traje, either way.

    ResponderEliminar