Portugal e Brasil - relação típica de irmãos

18:49

Tinha planeado um post totalmente diferente (fica para amanhã) mas li este artigo e depois de lhe deixar um testamento como resposta, vim aqui reescrever e explicar melhor a minha posição. (ler PS no final do artigo)

O artigo falava basicamente da diferença de culturas de Portugal e do Brasil, e do choque que é para um Português quando chega ao Brasil e depara-se que nem tudo é como as novelas das sete.
Eu sou filha de uma Brasileira (Portuguesa, vá, mas foi para lá com meses, cresceu lá e la viveu até ao final da faculdade - portanto considera-se mais Brasileira que Portuguesa) e de um Angolano. Sou o produto da exploração Portuguesa overseas. Não tenho vergonha, nenhuma mesmo, e vou repetir este ponto até ao final do meu texto.

Muito rapidamente: mal chegas ao Brasil és bombardeado com a expressão «ora pois» num sotaque tão mau, que dá dó. Mas eu, sou e sempre fui, apologista de que tanto o Português  a imitar Português do Brasil, como o Brasileiro a imitar o sotaque Português de Portugal, é no mínimo RIDÍCULO. Ninguém acerta com o sotaque, por isso cada um fica com o seu, pode ser? Nada de «ai que lêgale» ou «ora poixx». Uma coisa é brincadeira, quando se tenta fazer o sotaque uma ou duas vezes, e outra coisa é a chatice e vergonha que sinto quando vejo portugueses ou brasileiros a brincar até à exaustão com o sotaque um do outro. 



Agora, um ponto muito importante que queria aqui referir: estereótipos.
Se eu fosse uma «tapada» e inculta, diria que os brasileiros são burros, só falam de futebol e todos sabem sambar. Mas como não o sou, e apesar de haver muita gente digna desse estereotipo, sei muito bem que há gente super inteligente, que não sabe sambar (e não tem mal nenhum se souber ou não, atenção!), que não come feijoada todos os dias (repito, não tem mal nenhum se comeres ou não), e que odeiam futebol (repito...bem já sabem).

Assim como acredito que nem todos os Brasileiros pensam que os Portugueses chamam-se Maria e Manel, que dançam o «Vira», que o homem tem bigode e só bebe vinho, e que a mulher é dona de casa e que tem buço e monocelha. 
HÁ SIM  pessoas com monocelha, que comem feijoada todos os dias e que odeiam futebol, mas isso tanto há no Brasil, como em Portugal, como no Japão ou Mongólia! Estes estereótipos ridículos já deviam ter sido há muito ultrapassados, com a nossa tão fácil possibilidade de viajar entre mundos, à distância de um clique (ou livro, não se esqueçam dos livros) e desmistificar estes mitos embaraçosos.




Quanto à diferença de vocabulário, o que um Português sofre no Brasil, é o mesmo que um Inglês sobre na América e vice-versa! Falam a mesma língua, país conquistador, país conquistado, história partilhada, imitação de sotaques também acontece e tal,....mas falemos no vocabulário.
Assim como nós dizemos autocarro e os Brasileiros dizem ónibus, os Ingleses dizem car park (estacionamento) e os Americanos dizem parking lot (entre MUITOS outros exemplos!). Não quer dizer que a língua original foi desprezada. Acontece. Acontece também em Angola, Moçambique e todos os outros países do mundo que podem partilhar língua mas desenvolveram vocabulário próprio. É  identidade deles no meio da «nossa» identidade que deixamos há séculos quando entramos naqueles países. Aceitem isso, porra!
Agora «olha para eu», «isso é para mim fazer?» e coisas do género que oiço de muitos Brasileiros,...doí bem lá no fundinho do meu coração ouvir tal coisa, e tenho a certeza que se Camões fosse vivo, ele ia dar uma chapada a cada um, até acertarem com o Português. Mas também aqui em Portugal oiço pérolas como «sobe para cima», «prontos», «O João fazem cinco anos», etc. Por isso, como já ouvi por aí: «se cagas, não condenes o outro por cagar». Corrijam, calmamente, educadamente, expliquem porque estão errados, mas não façam «caritas» de nojo e não pensem que não superiores quando estão a corrigir, porque de certeza que naquele dia já cometeram muita calinada no Português.
E outra coisa, a saúde e a educação são negligenciadas no Brasil e por cá é a mesma coisa - talvez não em tão grande escala, mas assistimos a algo semelhante. Basta visitarem famílias mais carenciadas para verem que nem tudo é cor-de-rosa, onde todos têm fácil acesso a tudo e mais alguma coisa. Por isso, sim, é comum estes erros no Português e muitos outros! E não culpem as pessoas, culpem o governo por não facilitar acesso à educação!! Lembrem-se que estes dois pontos, estes dois DIREITOS, foram dos mais reivindicados nos famosos protestos de Junho e Julho onde os Brasileiros viram a quantidade exorbitante de dinheiro que o governo dizia não ter para a saúde e educação, mas que investem agora em estádios de futebol e tudo mais, só para fazer boa figura para o resto do mundo.



Enfim, há sim diferenças gigantes entre uma cultura e outra, bottom of line is: não há uma cultura superior nem inferior. Cada cultura é diferente! O que era aceitável antes, já não é, ... sigam em frente! E isto tanto vai para Portugueses, como para Brasileiros, Angolanos, Moçambicanos, Goa (Indianos), Timorenses e todos os outros países onde deixamos a nossa língua (e para outros «conquistadores» que deixaram a sua língua em outros cantos do mundo).
Temos uma história e uma das mais belas línguas do mundo em comum. Temos a possibilidade de nos apoiarmo-nos mutuamente se colocarem toda esta discriminação de lado. Por isso, força! Aceitem as diferenças, aceitam o que têm também em comum e aprendam uns com os outros!



PS: o artigo que falei no inicio deste post é uma opinião de alguém que está a viver estas diferenças culturais - respeito-a e entendo bem de onde vem a sua opinião :) Por isso, Miss Peter Pan, não leves este meu texto como uma critica ou uma resposta a desafiar o seu texto, porque não é. Foi mais uma inspiração que surgiu a ler o teu artigo, pois tenho perfeita noção que a intuito de escrever o que escreveu não foi discriminação nem nada do género, mas antes um texto leve sobre as diferenças entre duas culturas.
Não a encarei como alguém discriminadora nem nada do género, e peço a todos que não a encarem como tal. Isto era algo que já queria escrever há muito tempo pois vivo com estas diferenças TODOS OS DIAS. Mais nada :)

You Might Also Like

42 Comments

  1. Não podia concordar mais! Adorei :)

    ResponderEliminar
  2. Adorei ler o teu texto e estou completamente de acordo. E agora numa de brincadeira... tens sempre locais onde passar férias ahah :D Obrigada querida, também te sigo, és fantástica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No Brasil sim, agora em Angola, infelizmente, não tenho lá casa. Mas hei-de lá ir :D Obrigada pelo comentário! Beijinho

      Eliminar
  3. obrigada querida e infelizmente, eu sei que nem tudo é, mas gostaria que fosse né? Também adorei o teu blog, segui :)

    ResponderEliminar
  4. sim sei, mas nunca tive nenhuma, é a 1º vez.

    ResponderEliminar
  5. Adorei este texto! Sem dúvida, focaste algo sobre o qual muita gente havia de pensar e reflectir! Há muiiitos preconceitos da parte dos portugueses para com os brasileiros e vice-versa que não passam disso mesmo: preconceitos parvos, que até podem ter algum fundamento mas que não espelham a realidade.
    Gostei :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada pelo comentário. Eh pá, achei necessário um texto do género e sendo eu «filha» desses dois países, achei-me na melhor posição para tal :) e fundamento, há sempre, mas já deviam estar já muito ultrapassados! Beijinho

      Eliminar
  6. adorei o texto , tens toda a razão (:

    ResponderEliminar
  7. r: Nós somos primas, é um pouco impossível deixarmos de ter uma relação. Temos idades perto e somos muito diferentes por isso é que chocamos tanto, mas no fundo quando uma está mal somos a primeira a quer cuidar uma da outra, é assim. Acho que a nossa relação será sempre assim uma espécie de "ódio"/amor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. a mim parece-me tipo relação de irmãos ;) mas com o tempo a coisa vai ao sitio! respeito é a palavra -chave!

      Eliminar
  8. A cidade aqui ao lado fala de uma maneira diferente da minha cidade. Eles gozam conosco e nós com eles. :) Sem esquecer... Porto/Lisboa né?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porto e Lisboa é o clássico nestas situações, mas todos sabemos que nem todos que vivem no Porto tem sotaque do norte e que nem todos que vivem em Lisboa são tias de cascais! ;p enfim, são coisitas pequenas que vão sempre existir mas felizmente já há gente tão fechada como antes

      Eliminar
  9. Oi Cisma, como disse foi um desafabo de muitas situações do meu dia a dia que nao estava sinceramente à espera, não quer dizer que esta experiencia esteja a ser boa ou má...simplesmente esta a ser diferente do que eu esperava!! A saudade bate e por vezes escreve-se em demasia com o coração!! De qq das maneiras obrigado pelas criticas...serão sempre benvindas!! Inspire-se :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ah vieste comentar :D ia deixar-te no final de responder a todos, um comentário no teu blog a avisar que tinha falado do teu artigo. espero que não haja problemas. como disse, sei bem que não escreveste aquilo com preconceito. entendo bem essa saudade e essa força de escrever com o coração. da próxima vez que ouvires um «ora pois», sorri e diz que tal coisa não faz parte do teu vocabulário. a maioria dos brasileiros são por natureza brincalhões, sempre de animo leve, daí brincarem tanto com a situação. não faças má cara e tudo corre bem ;) vais ver que esses tempos aí passados no Brasil vão ser recordados como os melhores tempos da tua vida :D Aproveita!! E obrigada pelo comentário :) Beijinho

      Eliminar
  10. O Post está um máximo e com alguma dose de humor, adorei :)

    Sónia
    Taras e Manias

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora essa, obrigada!! Sê sempre bem-vinda ao blog! Beijinho :)

      Eliminar
  11. Sem dúvida que concordo com muito o que disseste. Claro que em todos os países há pessoas boas e más, há aspectos culturais bons e outros menos bons, uns com os quais nos indentificamos mais outros menos. Mas acredito, que numa situação de mudança, as coisas menos boas sobressaiam mais (talvez como reflexo da saudade do que se conhece...). Mas é importante abandonar os estereotipos e preconceitos. Não há melhor que uma mente aberta para absorver tudo o que há de bom!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. claro que sobressaem e nunca disse o contrário. este texto foi tomado em inspiração do da Miss Peter Pan mas não foi de qualquer forma uma critica ao que ela estava a sentir. foi apenas um esclarecimento de situações que tenho vivido e que conheço desde criança por ser «filha» de um dos países que mencionei no texto :) mas sim, há aspectos culturais bons e outros menos bons, vão sempre haver diferenças, mas há algumas discriminações desnecessárias e que já deviam ter sido há muito ultrapassadas, entendes? :) Obrigada pelo comentário! beijinho

      Eliminar
  12. Os aspetos culturais são qualquer coisa de alienigena quando existem estas fusões ou separações bruscas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. acontecem sempre, mas cabe a nós atenuar tal coisa :)

      Eliminar
  13. Gostei muito do texto e ninguem melhor que tu para falar dessas diferenças uma vez que tu propria vivencias ambas :)

    Beijinho*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há pessoas melhores para falar sobre isto ;p mas sempre tenho a experiência e vou falando heheheh Obrigada pelo comentário querida!

      Eliminar
  14. Adorei o texto, acho que é uma critica construtiva que muitas pessoas precisavam de ler xD

    ResponderEliminar
  15. Muito interessante, não fazia ideia de que havia um choque cultural tão grande!
    Beijinhos :3

    ResponderEliminar
  16. Conheço pessoas brasileiras e tirando a parte da língua ter algumas diferenças são pessoas óptimas. O bom das culturas é que se adaptam, que se espalham, que se tornam únicas. Os portugueses não podiam esperar que as nossas antigas colónias fossem uma réplica fiel daquilo que somos. Eles têm a sua identidade, defendem-na e ainda bem que o fazem. Nós também não o fazemos?! Portugal e Brasil são países irmãos, e como em todos os irmãos há diferenças. Só temos de aprender a viver com isso.

    Adorei o texto :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro! nós apenas deixamos uma influência (língua e pouco mais), de resto a identidade é toda deles e ainda bem :D é sinal que cresceram e tornaram-se realmente independentes. mas esta pequena desavença vai sempre existir, daí o meu titulo: relação tipica de irmãos: tu adora-o mas há sempre aquelas típicas discussões hehehe


      Obrigada pelo comentário!! Beijinho

      Eliminar
  17. Eu estive no Brasil este ano e notei imenso o choque entre culturas! Pensava que eles eram bem mais parecidos connosco, verdade seja dita, e percebi o quanto estava errada. Conheci pessoas fantásticas, educadíssimas e muito simpáticas e, no geral, fiquei com boa impressão dos brasileiros. Receberam-nos muito bem! Apesar disso um dia ao entrar num "boteco" o homem que nos atendeu ficou espantado por eu ser portuguesa porque, segundo ele, pensava que as mulheres portuguesas tinhas bigode. Eu fiquei mesmo pasma e nem queria acreditar mas foi mesmo engraçado!
    Eles têm a cultura deles e nós temos a nossa. Mas da mesma maneira que há portugueses preconceituosos com os brasileiros, o inverso também acontece...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e não é só entre Portugal e o Brasil, é entre qualquer outro pais. há pessoas más e pessoas boas, há pessoas preconceituosas e pessoas virtuosas, há pessoas na paz e outras sempre em guerra...e isso há em todo o lado!

      mas adorei ler a tua experiência hahaah infelizmente há quem acredite mesmo que Portugal parou no tempo (e convenhamos...parou um pouco assim como muitos países - na minha opinião, países nórdicos é que são da cena hahahah sempre um passo à frente) mas há gente mesmo que pensa, sem preconceito, que nós somos mesmo mulheres cm buço e tal...e isso é falta de informação...falta de cultura que não é culpa deles mas do governo deles que não lhes providencia essas experiências e conhecimento. assim como há aqui muito bom português que sempre que vê uma brasileira, pensa que ela tem uma dita cuja profissão. é triste, mas enfim...há que combater essa falta de informação. Obrigada pelo comentário :D

      Eliminar
  18. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar